Modelando Árvores
Texto e fotos: JF (Marília, SP)
Email: guaglianonebertolotti@gmail.com
Data: 22/09/2011
Árvore na maquete (foto 9) Árvore pronta (foto 8)
A presente técnica possibilita a confecção de árvores bastante realísticas, de tamanhos, formas e cores variados.
CUIDADOS ESPECIAIS
O uso de solda é opcional, mas caso você decida utilizá-la, lembre-se que o processo desprende vapores tóxicos, portanto execute-o em ambiente com boa ventilação e use uma máscara de pintura.

Quando utilizar o liquidificador para triturar a bucha, lembre-se de deixá-lo esfriar de tempos em tempos para evitar que o motor queime por superaquecimento.
Palavras chaves: árvores, vegetação, decoração
Nível de dificuldade: fácil
Tempo de execução: não determinado
Domínio prévio de: técnica de soldagem (no caso de opção por estanhar os galhos)
Lista de materiais:
  • massa corrida ou acrílica (para paredes)
  • bucha (esponja) vegetal
  • bisnagas de corantes para tinta PVA, nas cores desejadas para o tronco
  • tinta Acrilex para madeira, ou acrílica, em vários tons de verde (verde pinheiro, verde oliva e verde grama)
  • fios de cobre ou arame
  • cola branca
  • álcool
Lista de ferramentas:
  • pulverizador manual
  • tesoura
  • peneira
  • recipiente plástico (pode ser pote de sorvete)
  • liquidificador
  • pincel
  • pinça
  • soldador elétrico e solda (só no caso de opção por estanhar os galhos)
Modelando os troncos

Para modelar os troncos, pode se usar fios de cobre ou arames. A modelagem com arames é mais difícil, já que os arames são mais duros, mas resultam em troncos mais firmes.

Eu prefiro os fios de cobre, são mais maleáveis e mais fáceis de moldar, mas resultam em troncos mais "moles". Para resolver esse problema, eu gosto de "estanhar" os galhos enquanto modelo. Isso dá resistência e evita que você vá entortando o que já modelou, enquanto trabalha nos demais galhos.

Junte os fios/arames necessários para dar a espessura desejada ao tronco, torça próximo a uma das extremidades para uni-los, depois vá separando pequenas porções para fazer os galhos e as raízes. Utilizar fios de comprimentos diferentes facilita na hora de "separar" as porções pra fazer os galhos.

Faça várias bifurcações nas extremidades. Isso vai ajudar no momento de colar a copa, sem contar que aumenta o realismo.

Veja a foto de um tronco em construção, com a parte inferior já estanhada e a parte superior ainda a ser moldada:

Modelando árvores (foto 1)

Note que não é necessário estanhar toda a extensão do tronco, apenas os galhos mais finos, pra dar resistência, e as bifurcações, pra melhor manter o formato.

Lembre-se que uma árvore pode variar desde um pequeno arbusto até uma sequóia ou um carvalho gigantesco, passando pelas mais variadas formas, desde as coníferas, mais alongadas, até árvores de serrado, com troncos muito retorcidos e abertos. Este tronco da foto será um eucalipto, que não é exatamente uma conífera, mas também não tem uma conformação muito "aberta".

Depois de pronto, o tronco deve ser revestido de massa corrida ou acrílica, pra disfarçar os fios.

Alguns ficarão aparentes, mas isso vai conferir um interessante e realístico efeito de veios.

Tanto a massa corrida como a acrílica podem ser tingidas com as bisnagas de corantes para tinta PVA.

É interessante fazer isso porque evita que seja necessário pintar.

Uma vez aplicada a massa já na cor desejada, basta deixar secar que já estará pronto pra receber a copa.

Pense que dificilmente os troncos reais são marrons, observe bem e verá que são acinzentados, esverdeados, esbranquiçados e, sobretudo, muito manchados. Os efeitos de parasitas e manchas podem ser facilmente feitos com um pincel bem fino, depois de completamente acabada a árvore.

Aqui o tronco já acabado, pronto pra receber a copa:

Modelando árvores (foto 2)
Modelando as copas

O processo para se conseguir o material das copas é trabalhoso.

Faça uma grande quantidade para não precisar ficar repetindo o processo.

Em primeiro lugar ferva a bucha vegetal por mais ou menos 30 minutos.

Isso é importante não só para torná-la mais macia, mas principalmente para retirar a "goma" natural que a torna impermeável, o que prejudica o tingimento.

Depois disso picote com uma tesoura e despreze a parte do miolo, pois ali as fibras são mais grossas e ainda mais impermeáveis.

Bata as fibras mais macias no liquidificador, com bastante água, pra triturar bem. Quanto mais você bater, melhor.

Lembre-se de deixar o liquidificador esfriar de tempos em tempos ou o material da copa pode custar muito caro.

Modelando árvores (foto 3)

Use uma peneira fina pra escorrer a água e coloque pra secar ao sol. Procure espalhar bem pra evitar a formação de muitos grumos. Mas alguns se formarão, pois é inevitável.

Desnecessário dizer pra ter cuidado com o vento. Agora é hora de tingir. Separe a fibra obtida em, pelo menos, 2 ou 3 volumes, e tinja cada um de uma cor diferente. Os melhores resultados são obtidos com o verde pinheiro e o verde oliva.

Coloque a fibra num recipiente plástico (potes de sorvete foram feitos pra isso), adicione um pouco de tinta acrílica ou pra madeira da Acrilex e vá pulverizando uma mistura de água e álcool a 50% e mexendo, até conseguir que toda a fibra esteja tingida. A mistura com álcool é só pra acelerar a secagem. Pode ser apenas água, mas demora bem mais a secar. Não utilize apenas álcool porque a tinta vai formar grumos e seu trabalho estará perdido. Se o álcool a ser utilizado for aquele de baixa graduação (46,2º), não é necessária a adição de água; ele já é diluído.

Coloque ao sol pra secar, novamente; os grumos agora vão se formar com muito mais intensidade. Procure espalhar o melhor possível. O mais interessante é que se obtenha uma fibra de aspecto mais leve e aerado possível. Pra isso eu costumo voltar com ela para o liquidificador, após tingida, e bater mais um pouco, porém sem água; agora, só pra espalhar melhor. Coloque pequenas quantidades ou não vai funcionar.

Aqui eu aproveito para misturar as cores, batendo-as juntas. Isso evita que a sua árvore fique com um aspecto monocromático, artificial, já que uma árvore possui folhas em diferentes estágios, desde as muito novas, muito claras, até as mais velhas e bem escuras e mesmo várias já secando ou completamente secas.

Com certeza o copo e as lâminas do seu liquidificador ficarão esverdeados, felizmente eu tenho um copo velho de liquidificador que já se presta a serviços "não ortodoxos", digamos, mas é possível limpar, com um pouco de trabalho, é claro. Lembrando que essas tintas são atóxicas, portanto não vai haver maiores problemas. De qualquer maneira é sempre bom fazer isso longe dos olhos da esposa ou da mãe, conforme o caso.

Modelando árvores (foto 4)
Modelando árvores (foto 5)
Colando a copa ao tronco

Com um pincel, passe cola branca na extremidade dos galos a vá colocando tufos da fibra, da maneira como achar mais interessante. Utilize uma pinça para facilitar. Deixe secar.

Se não estiver do seu agrado, você pode colocar ou retirar fibra, já que apenas uma pequena parte dela ficará aderida ao tronco. Quando o resultado lhe agradar, é hora de finalizar a colagem. Use um pulverizador manual com uma solução de cola branca e água a 25% e pulverize levemente a copa, por todos os lados, inclusive por baixo. Tenha muito cuidado para não encharcar. Se isso acontecer, a copa vai "desmoronar" e você vai perder o trabalho. Serão necessárias umas 3 ou 4 pulverizações até que a copa fique firme. Deixe secar completamente antes de cada nova aplicação, ou o "desmoronamento" ocorrerá infalivelmente.

Utilize um bom pulverizador, que possibilite uma névoa bem fina. Evite utilizar pulverizadores que sejam "embalagem" de produtos como limpa-vidros, sal líquido, etc. Esse tipo geralmente expele gotas muito grandes, o que aumenta muito o risco que ocorra o "desmoronamento" da copa. Lembre-se que essa fibra absorve muita água.

Se isso acontecer, não se desespere. Mergulhe o tronco em água, por alguns minutos. A cola branca vai amolecer e você pode retirar toda a copa e recomeçar. Apenas descarte a fibra porque, uma vez impregnada de cola, o efeito final será bastante prejudicado.

Depois de seca a última aplicação da solução de cola, você pode "podar" a sua árvore, pra que ela não pareça muito "cabeluda", pra moldar melhor a copa, para retirar excessos, enfim, pra que fique o mais próximo possível da realidade.

O que mais dá realismo a uma árvore é o fato de se poder ver através dela os galhos e mesmo o cenário ao fundo. Tenha isso em mente quando modelar. Evite fazer copas muito compactas, que pareçam um bloco único e maciço.

Modelando árvores (foto 6)
Modelando árvores (foto 7)
Modelando árvores (foto 8)

Acredito não ter deixado de lado nenhum aspecto importante, mas, se ainda restar alguma dúvida, é só perguntar, mandando um email para mim (guaglianonebertolotti@gmail.com)

Sem preguiça, mãos à obra.

O autor é economista, tem 51 anos de idade e está no hobby desde 1996. Sua paixão é a era do vapor, com ênfase em ferrovias madeireiras, vagões especiais, de manutenção e cargas especiais. Paisagismo, elétrica e montagem de kits são as áreas onde tem mais habilidade.
Portal do Trem: Um site de ferromodelistas para ferromodelistas