Boletim de 28 de outubro de 2013
1:87,085714?

Muita gente fica intrigada com a proporção da escala HO. Por que 1:87,1 ou mesmo 1:87 e não simplesmente 1:80 ou 1:90? Veja, por exemplo, as escalas TT (1:120), N (1:160), Z (1:220) e T (1:450 ou 1:480). Não é mais fácil assim?

Mas a primeira pergunta provavelmente vai ficar sem resposta. Quem poderia justificar o injustificável já morreu há muito tempo. Por volta de 1900 algum funcionário do fabricante alemão Märklin decidiu criar a escala O. Nessa nova escala a proporção seria de 7 mm no modelo para cada 1 pé (= 12 polegadas ou 304,8 mm) no objeto real. Pés, polegadas, jardas e milhas fazem parte do chamado sistema imperial de medidas. Ou seja, misturaram dois sistemas (métrico e imperial) que não têm nada a ver um com o outro.

A escala O logo se tornou popular, mas questões de espaço e custo enfrentadas por vários modelistas exigiam modelos menores, o que levou à criação da escala HO ("Half O", isto é, metade da escala O).

Na escala HO cada 304,8 mm do protótipo são representados por 3,5 mm no modelo. Então, 304,8 mm divididos por 3,5 mm = 87,085714. Mas esse é um número quebrado, uma dízima periódica. Na norma NMRA os norte-americanos arredondaram para 87,1, e na norma MOROP os europeus arredondaram ainda mais: 87. Então, na Europa a escala HO é 1:87, e nos Estados Unidos é 1:87,1.

(Nossa página "Ferr(e)omodelês" tem mais informações sobre escalas, NMRA, MOROP, etc.)

Hora da partida: Maringá
Imagem: Encontro em Maringá
Foi neste final de semana o 1º Encontro de Ferreomodelismo de Maringá. Acima a foto de uma das várias maquetes em exposição.

(Foto tirada pelo Celso Mello, Londrina, PR)
Dúvida: vagão do Frigorífico T-Maia
Imagem: Frigorífico T-Maia

Imagem: Frigorífico T-Maia

Imagem: Frigorífico T-Maia
O Eric Mantuan, de Sorocaba, está com uma dúvida e pede ajuda aos universitários ferroviários.

As duas primeiras fotos acima mostram vagões isotérmicos do Frigorífico T-Maia, que funcionava em Araçatuba. Na primeira foto vemos o símbolo da NOB (Estrada de Ferro Noroeste do Brasil), justamente as letras NOB. Na segunda foto vemos no canto superior direito as letras "EF". Infelizmente não dá para saber que estrada de ferro é essa, pois a fotografia cortou fora uma ou mais letras depois do "EF".

O editor examinou mais de uma centena de fotos com o emblema da NOB. Sempre é NOB, nunca EFNOB. A EFS (Estrada de Ferro Sorocabana) teve vários emblemas. Num deles a tipologia (desenho da letra) é igual ou muito parecida com a do isotérmico em questão. Note que o traço horizontal central da letra E fica mais para cima. Veja a terceira foto.

Que ferrovia é a do vagão da segunda foto? Alguém tem uma foto completa desse vagão? Se você pode ajudar, envie sua resposta diretamente para o Eric.

(Fotos de autoria desconhecida.)
Expresso Portal do Trem
Strassenbahn em Woltersdorfer (sugestão do Nicholas Burman, na lista Trem da História)

Algumas poucas cidadezinhas na Alemanha mantêm serviço de Strassenbahn (palavra alemã para bonde). Woltersdorfer é uma delas. Bem simpática, situada perto de Berlim, antes da reunificação fazia parte da Alemanha Oriental.

Londres, 2012 (sugestão do Leandro Guidini, na lista ModelTrem)

O London Festival of Railway Modelling 2012 (Festival de Londres de Modelismo Ferroviário de 2012) aconteceu no Alexandra Palace e contou com cerca de 200 estandes e 40 maquetes. Um dia chegaremos a esse nível.

Viagem de trem pela Austrália vai do Índico ao Pacífico em quatro dias
Imagem: Trem na Austrália

Imagens belíssimas de uma viagem transcontinental: Viagem de trem pela Austrália vai do Índico ao Pacífico em quatro dias.

Dica: Como evitar paredes translúcidas

Prédios iluminados por dentro sempre dão um toque especial na maquete. Mas, se o plástico de paredes e telhados não for totalmente opaco, vai haver vazamento de luz. Vai ficar a impressão de que as paredes e o telhado são meio transparentes. Isso fica visível especialmente quando a maquete está totalmente às escuras, com exceção de suas próprias luzes.

Há um jeito fácil de resolver o problema. Pinte de preto os lados internos das paredes e telhado. Mas ficaria estranho ver paredes pretas através de portas e janelas abertas. Então, em seguida pinte de uma cor clara aquelas paredes que ficarão visíveis do lado de fora.

(Dica de Marcio Redondo, Curitiba, PR)

Colírio ferroviário
Imagem: Propaganda da Pirelli
Peça publicitária da Pirelli, exaltando seus fios e cabos elétricos utilizados em sinalização ferroviária. Publicada na revista Nossa Estrada, edição 449/450 (ano de 1976).

(Imagem escaneada pelo Carlos R. Almeida)
Caboose

Agradecemos ao Celso Mello, Nicholas Burman, Leandro Guidini e Carlos R. Almeida pelas contribuições para as várias secções do Portal do Trem.

Atualizamos as páginas "Produtores" e "Lojas físicas no exterior".

Marcio Redondo (editor@portaldotrem.com.br)

Portal do Trem: Um site de ferromodelistas para ferromodelistas