Boletim de 23 de março de 2012
O novo Engenheiro Residente

Um engenheiro formado havia pouco tempo conseguiu vaga como Engenheiro Residente em uma ferrovia. O amigo e professor dele, que já trabalhava lá havia algum tempo e ocupava o posto de Engenheiro Chefe, disse que os ferroviários de lá eram terríveis com apelidos e que logo na primeira semana ele seria agraciado com um. O rapaz então disse que era uma pessoa séria, de respeito, que não dava liberdade para subordinados e que por isso não teria apelido. O experiente engenheiro, conhecendo bem as figuras que trabalhavam na empresa, apostou que em uma semana o novato teria um apelido. A aposta foi aceita e se combinou que depois de uma semana o Engenheiro Chefe passaria por lá para vistoriarem a linha e saber quem ganhou a aposta.

O novato tomou posse disposto a não pegar apelido durante a primeira semana. A estação sede da Residência sob sua responsabilidade era um sobrado e a sua sala ficava no pavimento superior. Aproveitando isso, ele resolveu arrumar uma desculpa para não sair da sala na primeira semana, dizendo que estava checando toda a documentação do setor e não queria ser interrompido, e que os funcionários deveriam seguir a rotina normal de trabalho. Ele chegava antes de todo mundo, levava um lanche para não precisar sair para o almoço e só ia embora depois do horário. Passava o dia todo dentro da sala do segundo andar e, de tempos em tempos, botava a cara na janela para ver se tudo estava em ordem no pátio e se o pessoal da via estava capinando o trecho e dando a manutenção. Assim passou a semana.

No último dia da aposta, o seu amigo veio do escritório central para ver como ele estava e pegar o dinheiro, pois tinha certeza que o colega já havia sido ''batizado''. Ele chegou, perguntou pelo Engenheiro Residente, e o telegrafista disse que estava na sala. Ele subiu e já foi logo perguntando pelo apelido, mas o colega lhe respondeu:

– Que apelido? Eu não sei de nenhum. Te falei que comigo empregado não tinha liberdade.

O amigo ficou surpreso, mas diante da firmeza da resposta foi se convencendo, e desceram para vistoriar a linha. Muito confiante, o novo Engenheiro Residente chamou o Mestre de Linha, que até então não tinha conhecido pessoalmente, e pediu para aprontar o auto-de-linha. O mestre logo foi berrando para o Chefe da Estação:

– Chefe, me dá um staff que o ''Engº Cuco'' vai levar o chefe dele para vistoriar a linha!

(Colaboração do Denis W. Esteves. Leia outras em nossa secção de "Piadas".)

Viagem completada: Campo Limpo Paulista
5º Encontro de Ferreomodelismo em Campo Limpo Paulista   5º Encontro de Ferreomodelismo em Campo Limpo Paulista
Aconteceu domingo passado o 5º Encontro de Ferreomodelismo em Campo Limpo Paulista. Houve 12 maquetes expostas. Foram 4 maquetes HO, 5 maquetes N, 2 maquetes Z e uma maquete TT. Esse é um dado bastante interessante: houve mais maquetes N do que HO! Sinal dos tempos?

Os modelistas tiveram oportunidade de adquirir produtos da loja Trem Mania, que estava lá, e alguns modelos em HO e N do Cristovam Dalvechio Jr.

(Informações prestadas pelo Cristovam Dalvechio Jr. Fotos enviadas à lista Amola pelo Marcos Roberto Silva, do Ferreoclube do ABC.)
Você conhece o Railway Collector?

Railway Collector 3 é um software gratuito para catalogação de material rodante de ferromodelismo. Com ele você pode fazer seu inventário de locomotivas, carros e vagões. Você pode baixá-lo da página http://www.railwaymania.com/cs_docs_viewer_std.aspx?id=77. Apesar do nome está em espanhol.

Nova página: Softwares e recursos online

Duas semanas atrás mencionamos um outro software gratuito, o SCARM, que desenha traçado de maquetes e por sinal possui uma biblioteca com a geometria dos trilhos Frateschi. Hoje acabamos de falar do Railway Collector. Bem, estamos reunindo essas informações numa única página, "Softwares e recursos virtuais gratuitos", que vai ficar na área dos "Armazém". O responsável por esta nova página é o Alex Pinheiro. Aguarde novidades para a página.

Novo produto: Caixas Prado Trens
Caixa da Prado Trens
A Prado Trens está produzindo caixas para guardar locomotivas. As caixas são feitas em MDF e podem ser fornecidas em qualquer cor desejada pelo comprador. A caixa vem acompanhada de tampa e elástico para fechamento. No momento são produzidos os seguintes tamanhos: médio, grande, personalizado e caixa para quatro locomotivas. A loja virtual da Prado Trens: pradotrens.com.br.
Sistema Homem Morto: Erramos

Retificamos uma informação dada no boletim passado do Portal do Trem. Ao contrário do que dissemos, o sistema de homem morto não fica acionado continuamente. Ou seja, o maquinista não fica o tempo todo pressionando com o pé no pedal ou com a mão no botão de comando, tirando e voltando a pressionar. O contrário acontece. A locomotiva funciona sem acionamento contínuo. Mas o pedal ou botão de comando precisam ser pressionados e soltos em intervalos regulares, caso contrário a emergência é aplicada.

Agradecemos ao Zeval, que chamou nossa atenção para esse erro e passou as informações corretas. O Zeval trabalhou numa empresa que fabrica esse tipo de dispositivo.

Exposição em Curitiba: Os Ferroviários e a Justiça do Trabalho no Paraná
Expo TRT Paraná
O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná está promovendo a exposição ''Os Ferroviários e a Justiça do Trabalho no Paraná''. Vai até 15 de junho.
Trenes & Escalas: revistas gratuitas em espanhol

Quando os "Amigos da Linha" escolheram o nome Portal do Trem, nem imaginavam que na Argentina já existia um site chamado Portal de Trenes (http://portaldetrenes.com.ar/). Pois bem, nesse site é possível baixar gratuitamente vários exemplares da revista de ferromodelismo ''Trenes & Escalas'', que foi lançada em 2009. O endereço é http://portaldetrenes.com.ar/revista- completo.php

(Informação dada pelo ferromodelista RVPSC na lista Trens_e_Fotos.)

Dica: Traçado de túneis (1)

1) Na vida real a construção de túneis é extremamente cara. Por esse motivo só são construídos em último caso. Então, se optar por ter túneis em sua maquete, construa-os ''com moderação''.

2) A imensa maioria das maquetes têm pouco espaço, o que exige que tudo seja proporcionalmente mais curto do que na realidade. Diante disso o ideal é ter construções que criem a impressão de serem mais compridas. No caso dos túneis, uma maneira de criar essa impressão é fazer com que de um lado não seja possível enxergar o outro. Desde que não sejam curtos demais, em túneis em curva a própria curva resolve o problema. Já no caso de túneis em reta, também desde que não sejam muito curtos, é preciso apelar para um ''truque''. Ao invés de fazer uma simples reta, deve-se colocar um obstáculo no meio do caminho e fazer com que a linha contorne o obstáculo. Este deve ser construído de tal maneira a impedir a visão de um lado para outro.

3) Na vida real os túneis são em geral estreitos, pois construí-los fora do gabarito mínimo da ferrovia implica em custo adicional e desnecessário. Por isso não faça túneis mais largos do que o necessário. Na hora de construir túneis em curva, verifique que o material rodante mais comprido (em geral algumas locomotivas e carros de passageiros) passe com facilidade por eles, especialmente pelo lado interno da curva.

(Dica dada por Marcio Redondo, Curitiba, PR.)

Colírio ferroviário
Área das oficinas da maquete HO de Geraldo Vieira
Área das oficinas da maquete HO de Geraldo Vieira (São Paulo, SP).
Caboose

Agradecemos ao Junior pelas informações sobre o encontro em Campo Limpo Paulista, ao Denis W. Esteves pela piada, ao Zeval por corrigir nossas informações sobre o sistema de homem morto, ao Marcos Roberto pela foto sobre o encontro em Campo Limpo, ao RVPSC pela informação sobre a revista Trenes & Escala, ao Geraldo Vieira pelo colírio ferroviário e ao Alex Pinheiro por aceitar ser o responsável pela nova página sobre "Softwares e recursos virtuais".

Marcio Redondo (editor)

Portal do Trem: Um site de ferromodelistas para ferromodelistas