9 de março de 2012
9 de março de 2012
Joel Nunes Prado:
alguém com uma humildade do tamanho de um trem

''Perdi um amigo!''

Às vezes nessas exatas palavras às vezes em outras, é isso que li desde o final da segunda-feira em dezenas e dezenas de mensagens que circularam nas várias listas em que estou. O Joel Nunes Prado, o ''Joelzinho'' como muitos gostavam de chamá-lo, não está mais entre nós. Na semana passada ele havia informado nas listas que iria se submeter a uma angioplastia nesta última segunda-feira e pedia orações. Seria a segunda vez que passaria por esse procedimento. A primeira vez tinha sido em 2000.

Diante da informação e do pedido do Joel, inúmeros modelistas responderam, todos com palavras de encorajamento: desejando que tudo corresse bem, dizendo que se lembrariam em suas preces, dizendo que logo estaria recuperado. Mas, quando anoiteceu na segunda-feira, descobrimos que nossos desejos não se concretizaram, nossas preces não foram atendidas.

Todos fomos pegos de surpresa. E muitos, mas muitos mesmo, fizeram questão de dizer algo sobre o Joel. Reproduzo algumas frases dessas manifestações.

Joel Nunes Prado
Joel na sua maquete

''... Não quero aqui falar sobre a transitoriedade da vida, mas sim lamentar por perder esse amigo que fiz no ferreomodelismo. Ele foi uma pessoa que sempre procurou me incentivar, jamais deixava de comentar as fotos que eu postava, com aquele espírito generoso que só as almas iluminadas possuem. Amigo Joel, jamais esqueceremos seu sorriso, simpatia e humildade!!!'' (Balan)

''Amigo Joel, jamais esqueceremos seu sorriso, simpatia e humildade!!!'' (DJ Billy Medeiros).

''Grande Joel... como eu o chamava em minhas mensagens. E também foi o primeiro que me chamou de 'Mestre'. E mais irônica ainda foi sua mensagem sobre a cirurgia e os votos de uma plena recuperação dos amigos. Por vezes não entendemos estas 'coisas' que Deus faz com a gente. Ele tem seus motivos. Podemos não concordar, mas é seu desígnio. Adeus, Grande Joel!" (Marcio Hipolito – Supertrens)

''Uma perda sem tamanho'' (Rodolfo Sirmanas).

''Joel, você deixará saudades pela sua generosidade e maravilhosa pessoa que sempre foi; alem de um ferreomodelista, um grande amigo, gente boa e humilde'' (Rodrigo Bachelli Prado).

''O Joel e sua esposa nos receberam maravilhosamente bem quando os visitamos em Araraquara. Joel era um verdadeiro lorde no trato com as pessoas, e uma alma generosíssima'' (Salles).

''Uma pessoa com uma humildade do tamanho de um trem'' (Eric Mantuan).

''Impressionante como o Joel transmitia alegria e amizade, ele estará sempre conosco'' (Luiz Augusto Peixoto).

''Não consigo me esquecer do dia em que cruzei o estado de São Paulo, deixando a frieza da internet, para conhecê-lo pessoalmente. Parece que ainda sinto o cheiro do café, ainda vejo a mesa da cozinha, toda arrumada, à espera dos paulistanos'' (Ricardo Moreira).

''Quando no ano passado tive a honra de ser convidado a visitar sua maquete, já na minha chegada tive a primeira visão dessa sua personalidade: ele me aguardava na calçada, na porta da sua casa sentadinho na guia, feito criança... Acho que foi uma das maiores homenagens que recebi na vida... ESSE ERA O JOEL'' (Sebastian Burone)

''O Joel foi mais que amigo, foi incentivador do hobby; foi muito mais que isso; foi incentivador da amizade entre os hobbistas! Eu o tinha como irmão e como tal, perdi um membro da familia'' (Wado)

''Nem tenho palavras. Tive oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, um cara incrível. Difícil acreditar que não está mais entre nós'' (JF).

Joel Nunes Prado
A foto acima, tirada pelo Otavio de Camargo por ocasião do XIV Encontro Frateschi (realizado em 14/08/2010 em São Carlos), mostra da esquerda para a direita: Ruy Grobel, Chico Marques, Joel Prado e Ricardo Kappel.

Seguem depoimentos de dois colegas que conviveram mais de perto com o Joel.

O Joel começou no férreo por acaso. Foi comprar um relógio para a esposa justo na De Ponte do nosso amigo Douglas. Lá ele viu uma composição de passageiros do trem R e se apaixonou. Eu sempre dizia a ele: ''Foi aí que o mosquito do trem te picou''.

Tive o prazer de acompanhar seus primeiros passos no Ferreomodelismo até agora. Me lembro muito bem da primeira visita que fiz a ele quando ele comprou a primeira maquete. Não sabia praticamente nada do hobby. Comprou a maquete pronta. Maquete esta que foi doada para nossa associação e já participou de muitos eventos. Bastou apenas alguns dias para que ele já começasse a fazer modificações nela. Muitos erros e certos mas a partir dali ele entrou de cabeça no férreo. Ele vivia modificando as coisas na sua pequena maquete que ocupava sua sala de TV mas já falava de um grande projeto que tinha em mente para uma nova maquete. Acompanhei esse sonho dele desde o inicio... da construção do prédio à conclusão da maquete. Ele sempre pedia para fazer visita para que ele pudesse ouvir da gente opiniões e palpites. Ele sempre foi receptivo nesta parte. A participação dele nas listas também ajudou muito ele pois ele via algo na foto de alguma maquete, já logo queria usar a idéia na dele. Ajudei na construção desse sonho no que me foi possível mas a maior parte foi do amigos Fernando Loffredo e Rudolf Brabetz....

O Joel não estará mais presente mas estará vivo através da "mequetrefe" como ele gostava de chamar...

(Trecho de uma mensagem enviada pelo Luiz Carlos Felice a algumas listas.)
Conheci o Joel depois do início dele no ferreomodelismo, através do Luiz Carlos.

Era um senhorzinho simpático, de ''cabeça branca'', muito simples e humilde, ainda um pouco envergonhado de assumir em público o hobby de rodar trenzinhos, mas já muito empolgado com o novo passa-tempo.

Aposentado, descobriu que o ferreomodelismo era bem mais que um hobby... Além de uma válvula de escape para a sua já conhecida condição cardíaca, descobriu que era possível reviver as lembranças boas que tinha de sua infância no tempo da CP e Mogiana, alem de fazer muitas amizades e adquirir muitos conhecimentos através da internet.

Ainda éramos todos ''tímidos'' no modelismo, trocando algumas ideias aqui e outras ali, até que um dia ele me chamou e disse: ''Quero fazer uma maquete grande, digna de aparecer em revista. Você me ajuda Boi?'' Apelido ''carinhoso'' e em tom de brincadeira ao qual nos referíamos um ao outro...

Deu-se então o início da concretização de seu sonho... mas ele mesmo dizia que esse sonho não era só dele, era de todos os que deram algum palpite ou sugestão do que queriam ver em uma maquete ''nacional''. Ele fazia questão de documentar tudo, e sempre que um imprevisto surgia, pedia a opinião dos companheiros das listas que participava.

Sempre com muito bom humor, tentava atender aos desejos e ideias de todos que opinavam, mesmo que isso não fosse do gosto dele.

Utilizando adjetivos para descrever o Joel, podemos citar vários: extrovertido, divertido, sério, insistente, determinado, parceiro, entre muitos outros. Às vezes arrogante, mas sempre com razão, e no melhor sentido da palavra. Nunca teve vergonha de falar ou escrever errado, às vezes sem acentuação ou pontuação, e sempre fez piadas quando questionado: ''...mas você entendeu, não foi?...''

Tive o imenso prazer de ''ensinar'' muitas coisas, de aprender muito e também de testemunhar a sua determinação em realizar (e concluir) pequenos serviços, lutando com as dificuldades da visão já cansada e de uma certa ''falta de habilidade'' com ferramentas manuais, e sempre fazendo piadas com isso, e de muito bom humor.

Olhando para o Joel, vemos um senhor de cabelos brancos, aposentado e tranquilo... mas quando o vemos na sala da sua maquete, ''brincando de trenzinho'', vemos uma criança muito empolgada e feliz, cheio de vitalidade e de ambições.

''Boi, se eu estiver passando dos limites, você me avise. Não quero que pensem que sou um véio maluco!'' Frase essa que ele sempre dizia quando se empolgava demais com o hobby.

Infelizmente, o trem da vida precisa partir para a próxima estação. Boa sorte em sua jornada, Boi!

Avante CP! Avante EFA! Avante Joel!!

(Depoimento que o Fernando Loffredo enviou a pedido do Portal do Trem.)
Decalques do Carlão: pesquisa

Carlos Alberto Rodrigues Alvarenga (Carlão), que tem mais de 100 diferentes cartelas de decalque em seu catálogo, está fazendo uma pesquisa para saber quais outros decalques os modelistas querem ter. Se você está procurando um que não existe no mercado, escreva para ele informando a ferrovia e o equipamento (locomotiva, carro, vagão, etc.). O email dele é decais.do.carlao@gmail.com.

A Maria Fumaça da ALL

Eu tenho uma sobrinha que mora em Campinas e trabalha em Hortolândia. Um dia ela me contou que via a Maria Fumaça todo dia. Aí, na minha ingenuidade, perguntei, ''Você passa perto de Anhumas todo dia?''. Afinal, Anhumas não fica tão distante de Hortolândia e é a estação inicial da Viação Férrea Campinas-Jaguariúna, a ferrovia turística operada pela Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), a qual possui muitas locomotivas a vapor. Mas, para meu espanto, ela respondeu, ''Não. É em Hortolândia. São umas máquinas grandes, vermelhas, com 'ALL' escrito bem grande nelas, soltando uma fumaça danada...''

(Causo contado por Antonio Augusto Gorni).

Maria Fumaça da ALL
Será que é essa a ''Maria Fumaça'' que a sobrinha do Gorni viu em Hortolândia?

Quer ler outras histórias engraçadas da vida real? Visite nossa página "Causos".

(Foto de Cesar Augusto Tonetti)
Já ouviu falar do SCARM?

SCARM é abreviatura de Simple Computer Aided Railway Modeller. O nome pode parecer palavrão e é até meio difícil de traduzir, mas, depois de você descobrir de que se trata, não vai pensar mal dele. Em poucas palavras, é um software livre (gratuito) para desenho simplificado de traçados de maquetes. De acordo com a descrição encontrada no website do SCARM (http://www.scarm.info/, ele permite que você crie com facilidade o traçado que deseja.

Algo a se destacar é que o SCARM possui bibliotecas com especificações de trilhos de vários fabricantes (por exemplo, Atlas, Bachman, Peco, Shinohara e até Frateschi). Esse é um detalhe muito importante, pois diferenças mínimas nas medidas de peças não flexíveis (grades rígidas e desvios) de um fabricante para outro podem pôr a perder todo um projeto feito com esse tipo de programa. Uma variação de 2 ou 3 mm no comprimento ou no raio ou ainda de 2 ou 3º no ângulo faz toda a diferença. É preciso usar a biblioteca certa, caso contrário o projeto pode ficar fantástico, mas você não vai conseguir implementá-lo.

Dependendo das bibliotecas disponíveis, é possível trabalhar em outras escalas além de HO, inclusive O e N.

(Dica enviada pelo Chico Marques, Goiânia, GO.)

Model Railroad Hobbyist: detetor sonoro de curto-circuito

No exemplar deste mês da MRH há um tutorial bastante interessante sobre como fazer um detetor sonoro de curto-circuito. É bem simples e fácil de fazer, o custo é baixo, e os componentes são fáceis de encontrar. Ferramenta com várias aplicações para o modelista.

Faça download gratuito em www.model-railroad-hobbyist.com.

Próxima semana: encontro em Campo Limpo Paulista
Encontro em Campo Limpo Paulista

O 5º Encontro de Ferreomodelismo em Campo Limpo Paulista, SP, será dentro de poucos dias: dia 18 de março.

(Informação enviada pelo José Augusto, de Campo Limpo Paulista.)

Dica: Flores campestres

Tenho o costume de misturar dois ou mais tons de verde e de granulação da serragem que uso como ''mato'' na maquete. Além disso, coloco um pouco de pedrinhas coloridas, dessas de aquário, do menor tamanho menor possível (vermelhas, amarelas, azuis, brancas) para imitar flores campestres no meio do mato.

Não exagere, faça um teste antes e analise se ficou do seu agrado e aí sim efetive a ação na sua maquete.

(Dica enviada por Wado Motta, Taboão da Serra, SP)

Colírio para os olhos
Joel Nunes Prado
Detalhe da maquete do Joel

Temos ainda outras imagens dessa maquete: na penúltima imagem do bâner deste mês (logo antes da logomarca do Portal) você vê uma V8 da Fepasa atravessando a noite e no nosso álbum de "Maquetes" temos várias cenas noturnas.
Caboose

Agradeço primeiro ao Joel pelas inúmeras fotos que, com toda gentileza e prontidão, enviou para o Portal. Já publicamos algumas, oportunamente publicaremos outras. Agradecemos também ao Loffredo e ao Luiz Carlos pelos depoimentos, ao Gorni pelo causo, ao Chico Marques e ao Wado pelas dicas e ao José Augusto pela informação sobre o encontro em Campo Limpo Paulista.

Marcio Redondo (editor)

Portal do Trem: Um site de ferromodelistas para ferromodelistas